2010-12-12

Odio com amor, heróis, terroristas e criminosos, Mário Soares, Humberto Delgado, e o grande advogado-ladrão-mafioso, (GGGA, FFF, AVI, VIT, RNM, J3M, NJF)

Encontrei-me por acaso a sentir uma poetiza italiana a apresentare o seu livro sobre amor e ódio. Dizia que as emoções passam à poesia conforme os sentimentos do momento. Recordei não sei quem dizia que o ódio é um veneno que se toma esperando que faça male à pessoa odiada. Recordei a pessoa mais odiada da minha vida: un advogado-ladrão-mafioso roubou-me o dinheiro que tinha economizado em metada da minha vida e destruíu o meu tempo e a minha vida posterior. Se contionuar premiado pelo que fez serà a vergogna da velha injustiça tradicional. Se em vida não obtiver justiça dede já deixo o meu apelo para che a luta por justiça continue e se faça pagar ao grande advogado, cumplices e benficiários do meu dinheiro, do fruto do meu trabalho roubado de quem estudou leis com dinheiro dos contribuentes para aprender a roubar sem ser punido da velha injustiça tradicional. Espero que as minhas emoções em livros, filmes ou programas de TV originem direitos de autor para financiar uma associação de vítimas de injustiças, (AVI), um processo à velha injustiça e uma revolução moral, etica e deontológica da justiça do futuro.
Um livro escrito há quase 20 anos continua por editar. Hoje penso que se fosse editado podia ser o inicio do fim da velha injustiça  tradicional e início da revolução-Neo-marxista, (RNM). O título original era "O GRANDE ADVOGADO E A IMPOTÊNCIA DA JUSTIÇA". Tinha feito um desenho satírico para a capa com um prato da balança em alto um lado com um grande advogado com uma gravata que se alçava em dupla sugestão fálica de potência e do outro em baixo um curvado velho magistrado. Esta é a imagem que eu tenho da velha injustiça tradicional desde que um grande-advogado-ladro-mafioso, (gggame roubou o que tinha economizado em muitos anos de trabalho e da velha injustiça só consegui uma condenação simbólica à prisão e ao pagamento de uma parte mínima do que me roubou. Muitos dos melhores advogados são os piores guerreiros ao serviço das piores injustiça. Muitos juízes, na minha imaginação não passam de fantoches de fantochadas a que chamam justiça mas só serve para aumentar a injustiça. 
Muitas vezes imaginei uma justiça em 3 minutos que fazia melhor da velha injustiça tradicional. Muitas vezes me imaginei num tribunal electrónico, onde podia apresentar a minha queixa por e-mail, carta ou telefone ao preço de custo. Eu diria que um grande-advogado-ladrão-mafioso me roubou dinheiro, tempo e vida que não se pagaria com 10 milhões de euros. Em menos de um minuto explicava porque me parecia justo que o  "GRANDE ADVOGADO" (ggga) fosse condenado a pagar 10 milhões de euros. O Ao Dr. Mário Soares e sua Fundação, APAV, AVI, fundações e associaciações de beneficência e voluntariado, un grande advogado-ladrão-mafioso, (ggga), velha injustiça tradicional, (vit) e Neo-justiça futura, (njf).
grande-advogado-ladro-mafioso, (ggga), teria outro minuto para contestar, confessar ou defender-se. O juiz teria um minuto para dar uma sentença. Penso que uma condenação efectiva a pagar de €1 a 10 milhões era melhor da velha injustiça que me condenou a pagar para um advogado me defender, condenou contribuintes italianos a pagar para o seu advogado e condenou-o à prisão e ao pagamento de parte das vigarices mas como é um grande advogado não pagou nada.
Imagino um filme com 6 a 60 mortos criminosos para salvar 6 milhões de inocentes. É uma fantasia para um filme mas que me parece realística. Com 6 a 60 mortos e com as novas tecnologias era possível fazer hoje uma melhor revolução moral e cultura da de MaoTzé Tung com mais de 60 milhões de mortos.
Na informação italiana encontrei noticia das vezes que Mário Soares foi preso, 12 vezes, segundo li não recordo onde. Curioso que em Portugal não recordo de ter sentido falar destas prisões. Mário Soares foi considerado o maior herói vivente do final século passado de 45% de uma sondagem. As sua prisões do tempo de Salazar valem mais de medalhas depois do 25 de Abril de 1974. No seu livro "Portugal e o futuro" fala de Humberto Delgado como um herói. Recordo que quando era criança informado só da rádio tinha a impressão que fosse o pior terrorista criminoso da História de Portugal. Não imagino qual seria a minha impressão se não fosse a revolução de 1974.

Sem comentários: