2009-11-12

Fao, fome, publicidade, etica, consumo, ONU, Neo-ONU, Papa, Vaticano, religiões, políticos e citadionos, (s6m)

Um bilião de pessoas passa fome e vive na miséria. Creio que quase todos temos a sensação que outros mais ricos ou mais poderosos podem fazer melhor para resolver os problemas do mundo. Mas talvez todos possamos fazer qualquer coisa para evitar tanta miséria. Alguns podemos usar a nossa criatividade para procurar soluções e divulgar ideias e comportamentos para um mundo melhor.  Creio que a primeira coisa que todos podemos fazer será tomar consciência dos bens esgotáveis que devem ser economizados: energia, água, alimentos, reciclar, transformar e evitar popluição.

Não se pode comer energia mas a produção de alimentos é feita com 80% de energia para agricultura, transformação e transporte.

A publicidade influencia muito o consumo que por vezes é inútil ou prejudicial. A publicidade do futuro deve ser ética e orientar o consumo ecológico, os valores de solidariedade, fraternidade universal, prazer de dar e contribuir para o bem dos outros.

Fao, ONU ou Neo-ONU devem ser ajudados pelos governos e políticos de todo o mundo para criarem uma consciência de ética e justiça global.

Morrem milhões de crianças de fome por ano. Milhões de famílias, cópias de homossexuais, homens e mulheres não esposados seriam mais felizes se as pudessem adoptar. Mas certas políticas, tabus e religiões impedem de adoptar e salvar essas crianças. Papa, Vaticano e religiões que impedem ou dificultam adopções podem ser responsáveis da morte de muitos e infelicidade de outros.